terça-feira, 29 de junho de 2010

Espelho


O grande vazio...
Não reconheço meu corpo!
De quem são esses passos?
Me vejo de fora...
Sou fatos e histórias
que sumiram agora.

O nada.

As lembranças voltaram,
meus planos também.
A ilusão se faz dona,
a rotina sorri.
O real foi embora,
não deu tempo de descobrir
O que sou eu?

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Quase

Perto do que seria vida
Próxima do que se transformaria em tardes de sorrisos
Quase aqueles afamados sonhos que se concretizam
Pude senti-los: a vida, as tardes e os sonhos
Tão intensos que achei que já fossem meus
Quando se pode sentir o cheiro da paz e ela se vai...