quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Refúgio


Tempo não é deslocamento de ponteiros

Ainda é espaço
O tempo é envelhecimento daquele que observa
(Espera?)
O desgaste da pulseira do relógio

Se sublimei ou sempre foi, não sei.

Suspeito ser sublime
Desde o Big Bang
Suspeito que sublimei também
O meu refúgio sereno

Veio a minha calma

Veio na preciosa alma
Num segredo sagrado

Aconcheguei-me envolvida

Enternecida

Quanto tempo

Conto tempo
Abracei meu refúgio em espírito