segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Percepções de gota d'água

O mar é uma imensa gota d'água que à todas as outras chama
Chama gota que desce silêncio e cai espanto

Gota d'água tem quê de vento,
escultura do ar enquanto cai
Avisa que é gota pelo alarde ou calma em que chega
Pelo equilíbrio em folha que faz
Cada estalido é susto, nova condição

Quando segue, de tão atraída parece vontade
Gota não sabe se vai porque quer
ou se é chamada com força igual
Gota se transcende ou se aninha
Se aconchego, se abraça, redonda, gorda
E brilha e dança
Se transcendência, escorre
Ou não

Carinho discreto, presença subentendida no frescor
Gota depende da pressa
Gota depende do humor
Livre, livre não se pega
Gota se acolhe
Antes transcender a ser contida
Fluida, fluida, escorrega

Gotas a gente bebe e respira
São parte da gente, sou ela
O mar é uma imensa gota d'água que à todas as outras chama

Ai que saudade do mar!