quinta-feira, 31 de julho de 2014

Crianças

Era uma menina com seus poucos
e intensos
cinco anos de idade.
Era, também, uma casinha com seus poucos
e intensos
três cômodos.

Havia uma cerca e,
na cerca de bambu,
havia um portal mágico
que levava ao misterioso
mundo de Sá Maria Prata.

Dentro de Sá Maria Prata existia
uma cozinha de paredes escuras
por conta da fumaça de um fogão
de lenha.

A menina só conhecia a cozinha.
Vazava pela cerca com a certeza
de que era esperada.

Sá Maria Prata
não tinha ninguém
além

da menina e a menina
não tinha irmãos.

Por isso, a velhinha
sempre a acolhia
com guloseimas da roça,

feitas por suas mãos sabidas
de tanto viver.

Por isso, a menina vazava
pela cerca.
Ávida.

Sentadas na tarpa do fogão,
comiam a vida.

Tudo isso para dizer que

quanto mais sabedoria,
mas criança se é.