terça-feira, 12 de outubro de 2010

Meninas Gerais

São feitas de fuxico bem costurado
Fogão de lenha encerado
Bolão de fubá e café com leite
Carregam dentro delas
O romantismo sonhador
Das mulheres que tecem
A trama das rendas
Rendas de suspiros
Na janela vendo montanha


Algumas passam as horas
Ouvindo aquela canção
Repetidas vezes...
Outras - cobertor e livro
Quando a hora é chegada
Elas sentem e vão
Atraídas pelo pedido da terra


Elas têm algo
De calma e paz no abraço
Chegam colhendo flores
Entregando uma às outras
Vão se aconchegando no chão
Gostam de ficar descalças
De sentir a raiz
Trançam o cabelo uma das outras
Com fios de sorrisos e histórias
Que viveram na janela vendo montanha


Quando a flauta faz companhia pra viola
Elas param...
Só fazem deixar o peito arfar
Sonhar um pouco mais
Olhos num ponto lá no infinito
Vendo aquele sorriso
Então vem a embriagues
Feita de canções da terra
Que os amigos fazem
Voltam cada uma para suas janelas
Canções, cobertores e livros
Satisfeitas rendeiras de lembranças


Querem ser surpreendidas
Algo muito maior do que elas suspiram
Esperam por quem entenda
Que cada gesto delas
Traz tradição e segredo
Esperam que sejam
Descobertas nas Minas
As meninas Gerais
Ouro de paz


11 de outubro de 2010

20 comentários:

  1. hey ! agora senti uma dalila estilosa ...
    muito bem escrito
    as idéias se apronfudam e se retiram de foco numa suavidade invejável !
    e se entrelaçam bem ainda...

    sem mais,
    um brinde à um belo texto !

    ResponderExcluir
  2. Li este texto ouvindo a música Fairy Tale do Shaman. Juro que fiquei arrepiado.

    Parabéns Dalila, Meninas Gerais... poucos autores famosos conseguiriam fazer algo assim.

    ResponderExcluir
  3. Meninas Gerais... Texto com dengo e charme. Prazer na leitura e no sentimento que dá !

    Dalila... Está incrível!

    Fábio H

    ResponderExcluir
  4. É isso aí, Dalila. Nem sei o que dizer. Está cada vez melhor.

    ResponderExcluir
  5. Agora eu sei pq gosta das mineiras adoro fubá com café c/ leite

    ResponderExcluir
  6. Ah, agr entendi de quem se trata...
    Lindo, cada vez mais sem fala!

    ResponderExcluir
  7. Simplesmente incrível!
    Muito bom, só estou conseguindo comentar depois de reler!
    Abraços.

    ResponderExcluir
  8. Dalila, ficou maravilhoso! Adorei, curti muito mesmo... ESPETACULAR!

    ResponderExcluir
  9. Owmmmmmmmmmmmm gente que gracinha!!!! Vc me surpreende cada dia mais meninota!! Lindo mesmo!
    bjão

    ResponderExcluir
  10. Dalila, estou arrepiada lendo e relendo esse belíssimo poema.
    é como reviver aquele maravilhoso dia.
    é ESPETACULAR como sempre.

    ResponderExcluir
  11. Vanessa Bustamante23 de outubro de 2010 02:07

    Nossa, Dalila! Como você consegue? Me deixou arrepiada mesmo!
    E agora, sabendo realmente o que tá por trás, é mais lindo ainda, porque agora a gente tem mais uma arte daquele dia. E essa já tá nos favoritos.
    Parabéns mil e uma vezes!

    ResponderExcluir
  12. Flô, simplesmente ESPETACULAR!
    Sabe, quando vc não tem palavras pra descrever o que sente?
    é isso! Não sei.. Esse dia foi tão perfeito! e vc conseguiu expressar ele todo em um poema...

    ''Das mulheres que tecem
    A trama das rendas
    Rendas de suspiros''

    Olha que coisa maravilhosa... como faz?
    vou colocar vc em um potinho e levar sempre comigo!
    ahuahuahuah
    Sério.. essa dá arrepios! é perfeito! sei lá..
    Eu enxergo além dele.. simplesmente lindo! ó.ò
    Parabéns amiga!!!

    Grande abraço da Duda xD

    ResponderExcluir
  13. Parabens, voce escreve muito bem!
    Deu orgulho saber que o texto era de alguem de itajuba.
    Sou de Itajuba tambem e tenho o blog www.curvasderio.blogspot.com
    O banner eh de uma foto do rio sapucai em pouso alegre. Apesar do blog ser para tranqueiras de minas, vou colocar o seu texto lah e referenciar o seu blog, ok? Meu email eh luiziocosta@gmail.com se precisar responder
    Parabens de novo,
    Luizio

    ResponderExcluir
  14. Sem mais comentários. Simplesmente perfeita.
    Lu

    ResponderExcluir
  15. Um verdadeiro resgate da cultura mineira, das histórias que nos chegam e que nos encantam pelo sentimento romântico de raiz, do amor a terra e da tendência em cultivar a história interiorana como sendo a mais feliz, e que realmente é para muitos que a vivem. Parabéns, menina! Soube descrever a vida cotidiana de um cantinho do Brasil com muita sabedoria. Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Alexandre!
      Achei muito legal esse seu retorno! Pra mim, um diálogo cultural mesmo!
      Sempre que visitar o Nebulosa Volátil, fique muito à vontade! Comente sempre que quiser! Tem me apoiado muito! Obrigada, viu?
      Beijos!

      Excluir
  16. Dalila! Um doce de menina
    sua simplicidade é sua simpática faz você ser única
    sortudo o homem que tiver o seu amor!
    cada dia acordar com uma prosa romântica escrita por Dalila C Realino rsrs
    Bjs princesinha ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Douglas, agradecida demais! Um beijo, principezinho! hahaha...

      Excluir