segunda-feira, 4 de março de 2013

Matizes

“Arrumar o quarto nunca foi uma tarefa fácil para Santiago,
 mas sabia que não havia escapatória“.
 Se ainda fosse somente esse quarto, essa casa,...
 Mas não... Santiago tinha uma casa a cada estado de espírito,
 um quarto para cada cor do que sentia.
 Num só dia, inúmeras casas, incontáveis quartos.
 E todos deviam ser mantidos limpos
 (puros, leves)
De alguma forma, organizados e em equilíbrio.
Por vezes acordava anestesiado,
 sem saber em qual quarto estava.
 Sorria enganado, esquecido, desmemoriado.
 Abria os olhos devagar.
 A alma assumia a realidade como sua,
 avisava o consciente sobre qual cor seria,
 qual casa seria: As providências do dia.
 Então o quarto se fazia real
 de acordo com o que a alma sentia.
 Não havia escapatória.
 Santiago sempre arrumando os quartos.

(Texto inicial por Daniel Garcia do http://filtropolar.wordpress.com/)

7 comentários:

  1. Vc tá ficando especializada em alma de gente. Parabéns pelo texto. Ge.Inácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por vir ler, Geraldo! Fico sempre muito feliz com sua visita e seus comentários! Agradecida mesmo pelo elogio! Abração!

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Maravilha ler e imaginar, a organização é sempre lenta mas com fim muito eficaz. Parabéns por saber organizar palavras,o que nos deixa com chances de organizar sentimentos. Um forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, minha Bu! Tô feliz de você ter lido e comentado! Bacana isso que você disse: "nos deixa com chances de organizar sentimentos". Muito bom saber que ajudo de alguma forma! Abração apertado!

      Excluir
  4. Nossa me lembrei dos tempos de escola quando vc escrevia...me passou varias lembranças... Amiga esta lindo msm só vc em garotinha e bota capacidade nisso!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, amiga! É, eu dava trabalho! hahaha! Um beijão!

      Excluir